ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
PREFEITURA MUNICIPAL DE RIACHUELO

GABINETE DA PREFEITA
LEI Nº 643/2020 – DISPÕE SOBRE A DENOMINAÇÃO DE LOGRADOURO “SEM NOME”, LOCALIZADO NO CENTRO DA CIDADE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
A Prefeita Constitucional do Município de Riachuelo, no uso de suas atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município faz saber que o Poder Legislativo aprovou e ELA sanciona e Promulga a seguinte Lei:

Art. 1º Fica oficializado a denominação do logradouro Público localizados no centro da Cidade de Riachuelo, conforme descritos abaixo e na Planta de localização em anexo.

1 – RUA JOSÉ FERINO DE LIMA, – Ligando, em sentido Oeste/Leste, da Rua Tales Soares de Paiva com as terras pertencentes a Eduardo Pereira Tertuliano, conforme planta de localização em anexo

Art. 2º O município ficará responsável em emitir documento oficial aos órgãos públicos da Federação, informando a aprovação da presente Lei.

Art. 3º As despesas decorrentes da aplicação desta Lei correrão por conta de dotações próprias do orçamento vigente.

Art. 4º Esta Lei entrará em vigor a partir da data de sua Publicação.

 

Riachuelo/ RN 08 de julho de 2020.

 

MARA LOURDES CAVALCANTI

Prefeita

 

BIOGRAFIA DO HOMENAGEADO

 

JOSÉ FERINO DE LIMA, nasceu em Pedra Lavrada na Paraíba, em 16 de outubro de 1937, popularmente conhecido como Zé Ferino, filho do Sr. Fernando Paulo dos Santos, agricultor, e de D. Maria José dos santos, parteira na comunidade em que moravam. Oriundo de uma família com 14 irmãos.

Iniciou seus estudos na sala de sua própria casa, juntamente com seus irmãos, com seu professor, tio e Padrinho Igino, pois as escolas eram escassas no Sitio Tanquinho em Pedra Lavrada – PB, onde anos depois, iniciaram na roça cultivando arroz.

Em 1958 saiu da sua cidade natal e veio para o Rio Grande do Norte, para a fazenda Lagoa Nova, onde lá estudou o antigo 5° ano ginasial, com a professora Liquinha, ao mesmo tempo que trabalha no cultivo e no beneficiamento do agave junto com o seu tio Chico Sertanejo.

Em 1961 começou o seu namoro com Josefa Teixeira. Eles se conheceram através da Irmã dela, Irene, que era casada com seu tio Chico sertanejo. Após 06 anos de namoro, noivaram e contraíram casamento, formando uma família de nove filhos. Geny Teixeira de Lima Oliveira, Geniceia Teixeira de Lima e Silva, Genibaldo Teixeira de Lima, Genicleide Teixeira de Lima, Gecicleide Teixeira de lima, José Teixeira de Lima, João Neto Teixeira de Lima, Dalmo Teixeira de Lima e Conceição de Maria Teixeira de Lima.

No ano de 1962, fixou residência na cidade de Riachuelo – RN sendo um dos primeiros funcionários públicos da prefeitura municipal da cidade, ingressando no cargo de fiscal geral, e na década de 70 assumiu também a secretaria da junta do serviço militar com vínculo no 16° batalhão.

Em 1966 conheceu monsenhor Expedito de Medeiros vigário geral da Região Potengi, formando uma fraterna amizade, sendo convidado para o trabalho de evangelização na capela do Sagrado Coração de Jesus, onde por vários anos fora o responsável pelas celebrações dominicais. Foi ainda líder comunitários em diversas comunidades Rurais formando grupos de trabalho e de evangelização, plantando junto com Monsenhor, o sonho da vinda das águas da barragem Campo Grande para a Cidade de Riachuelo.

No ano de 1968, descobriu uma de suas grandes paixões, a fotografia. Especializou-se por meio de cursos de fotos e revelações, montou um estúdio em sua própria casa, dando início ao registro fotográfico dos principais acontecimentos do município de Riachuelo e do cotidiano popular, quando era chamado contratado para eventos da particulares.

No ano de 1976 resolveu enveredar na carreira política municipal, não obtendo êxito. Porém, não saiu da vida pública, sempre participativo nas questões administrativas da cidade, como servidor público, contribuindo na elaboração dos projetos das vias públicas da cidade, no alistamento dos jovens para a carreira militar e na Participação Efetiva na Igreja Católica.

Em 79 contribuiu nas elaborações dos projetos de saneamento básico da cidade e no calçamento das principais vias públicas do município e na erradicações das casas de taipas e nos projetos das construções das casas de alvenaria no bairro nossa senhora da conceição.

 

Em 1998 conquistou sua aposentadoria, após ter desempenhado suas funções, por anos, no Município de Riachuelo, exercendo com zelo as atribuições de seu cargo, reconhecendo que contribuiu para o desenvolvimento de nossa cidade. No mesmo ano, fixou residência em Parnamirim até a data de seu falecimento.

José Ferino de Lima faleceu no dia 16 de março de 2013 no Natal Hospital Center em decorrência uma neoplasia deixando sua esposa, nove filhos e onze netos.